guia de percurso

34
CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS

Upload: deisenatcha

Post on 18-Apr-2017

230 views

Category:

Documents


0 download

TRANSCRIPT

Page 1: Guia de Percurso

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS

Page 2: Guia de Percurso

UNOPAR - LondrinaSEPC - Sistema de Ensino Presencial ConectadoRua Tietê, 1208 - Vila Nova86025-230 - Londrina - PRTel: (43) 3371-7427 / 3371-7423Fax: (43) 3371-7459e-mail: [email protected]

UNOPAR - UNIVERSIDADE NORTE DO PARANÁSEPC - Sistema de Ensino Presencial Conectado

Chanceler: Profa Elisabeth Bueno Laffranchi

Reitora: Profa Wilma Jandre Melo

Pro-Reitora de EaD: Profa Elisa Maria Assis

Coordenação do Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas: Prof. Everson Matias de Morais

Elaboração: Prof. Everson Matias de Morais

Diagramação:

Léia Dias Saboia

Coordenação Pedagógica: Profa Samira KfouriRevisão Textual: Profa Ana Maria Valle

Page 3: Guia de Percurso

3

CU

RS

O S

UP

ERIO

R D

E TE

CN

OLO

GIA

EM

AN

ÁLI

SE

E D

ESEN

VO

LVIM

ENTO

DE

SIS

TEM

AS

Guia de Percurso - análise e desenvolvimento de sistemas

ApresentAção ............................................................................................................................ 6

objetivo .................................................................................................................................... 7 ObjetivOs específicOs ............................................................................................... 7

AtuAçãO prOfissiOnAl ............................................................................................... 7

perfil dO egressO .................................................................................................... 7

estruturA do Curso .................................................................................................................. 8 suA semAnA de cursO ............................................................................................... 9

prOfissiOnAis envOlvidOs ......................................................................................... 11

bibliOtecA digitAl .................................................................................................... 12

orgAnizAção do Curso ............................................................................................................ 13MAtriz CurriCulAr ................................................................................................................... 14eMentAs ................................................................................................................................... 16 1º semestre ............................................................................................................ 16

2º semestre ........................................................................................................... 17

3º semestre ............................................................................................................ 19

4º semestre ............................................................................................................ 21

5º semestre ............................................................................................................ 22

6º semestre ............................................................................................................ 24

sisteMA de AvAliAção ............................................................................................................... 27regrAs de AprovAção .............................................................................................................. 28estágio CurriCulAr obrigAtório .............................................................................................. 29estágio CurriCulAr não obrigAtório ...................................................................................... 30trAbAlho de ConClusão de Curso ........................................................................................... 30ACo - AtividAdes CoMpleMentAres obrigAtóriAs ..................................................................... 32AvAliAção instituCionAl ........................................................................................................... 33

SUMÁRIO

Page 4: Guia de Percurso

4

CU

RS

O S

UP

ERIO

R D

E TE

CN

OLO

GIA

EM

AN

ÁLI

SE

E D

ESEN

VO

LVIM

ENTO

DE

SIS

TEM

AS

Guia de Percurso - análise e desenvolvimento de sistemas

CARO ALUNO,

Bem vindo ao Sistema de Ensino Presencial Conectado da UNOPAR. É com grande satisfação que apresentamos o Guia de Percurso do Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas, na modalidade a distância.

Temos como objetivo atender a você que deseja uma formação de qualidade assim, desenvolvemos uma proposta de ensino e aprendizagem composta por diferentes processos e práticas para seu processo educativo. Para isso apresentamos as informações sobre seu curso e o modo como vamos trabalhar juntos, assim como as possibilidades entre os encontros presenciais, nossas relações virtuais e o conhecimento que delas deve resultar.

O curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas fundamenta-se em base teórica e científica, exigida na maioria das situações pelo mercado de trabalho e provê ao aluno instrumental suficiente para acompanhar as mudanças que ocorrem atualmente. Para tanto, fornecemos formação humanística e visão global; propiciando sólida formação técnica e científica para atuar na administração das organizações, desenvolver atividades específicas da prática profissional; além de desenvolver, no âmbito acadêmico, competências para compreender e desenvolver a capacidade de atuar de forma interdisciplinar.

Iniciando a sua trajetória é necessário que você compreenda a organização do seu curso, seus espaços presenciais no pólo de apoio presencial assim como os espaços virtuais, pelos quais seu estudo e seus compromissos acadêmicos serão cumpridos. Assim apresentamos, neste guia de percurso, o funcionamento do curso e suas especificidades. Pela leitura atenta e necessária esperamos que você possa obter dicas importantes para um processo acadêmico de qualidade.

Orgulhamo-nos de sua presença e participação na UNOPAR e esperamos construir juntos com você um excelente curso superior.

Abraços. A coordenação.

Page 5: Guia de Percurso

5

CU

RS

O S

UP

ERIO

R D

E TE

CN

OLO

GIA

EM

AN

ÁLI

SE

E D

ESEN

VO

LVIM

ENTO

DE

SIS

TEM

AS

Guia de Percurso - análise e desenvolvimento de sistemas

Algumas pessoas acham que foco significa dizer sim para a coisa em que você vai se focar.

Mas não é nada disso. Significa dizer não às centenas de outras boas idéias que existem.

Você precisa selecionar cuidadosamente.

Steve Jobs, em 2008, para a revista Fortune.

Page 6: Guia de Percurso

6

CU

RS

O S

UP

ERIO

R D

E TE

CN

OLO

GIA

EM

AN

ÁLI

SE

E D

ESEN

VO

LVIM

ENTO

DE

SIS

TEM

AS

Guia de Percurso - análise e desenvolvimento de sistemas

APRESENTAÇÃO

A UNOPAR, conta com uma história de sucesso no Ensino Superior presencial e também na modalidade a distância - EAD, modalidade esta que você escolheu e agora faz parte da nossa história. A UNOPAR oferta assim o curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Modalidade a Distância.

Para tanto o Sistema de Ensino Presencial Conectado da UNOPAR, um sistema bimodal, conta com atividades síncronas e assíncronas, ou seja, com momentos presenciais em teleaulas transmitidas ao vivo, via satélite, aula atividade para o trabalho em grupo e seminários e também com atividades não presenciais que você irá realizar em ambientes virtuais de aprendizagem especialmente preparados para sua formação.

Você poderá participar, ainda, das atividades de pesquisa e extensão, realizadas em conjunto com os docentes das disciplinas, contemplando assim a plenitude do Ensino Superior.

Os docentes com os quais você desenvolverá seu processo de ensino e aprendizagem são altamente qualificados e preparam os matériais didáticos e os conteúdos de seu curso. Juntamente com o acompanhamento tutorial nos pólos de apoio presencial e a mediação pedagógica a distância, através do Ambiente Virtual de Aprendizagem – AVA,os docentes compõem a equipe multidisciplinar que irá acompanhá-lo e auxiliá-lo em seu percurso.

Estudar a distância tem como princípio o estudo autônomo, ou seja, que o aluno organize seu tempo para o estudo, com leituras e com pesquisas de materiais didáticos e conteúdos das disciplinas. Para tanto, a UNOPAR disponibiliza a você a Biblioteca Digital, com espaços pedagógicos para pesquisas bibliográficas do material didático, das teleaulas, de livros digitais, de periódicos e todo acervo da bibliografia básica e complementar.

Além disso, na biblioteca física nos pólos de apoio presencial, você pode consultar a bibliografia definida em seu curso, segundo os critérios de acesso disponibilizados para sua utilização.

O curso, embora na modalidade EAD, tem também momentos presenciais, como já destacamos anteriormente, por meio das teleaulas e das aulas atividade, possibilitando, a você aluno, interatividade ao vivo com o professor, tutores e os colegas, e é muito importante que você participe, esclarecendo suas dúvidas e colaborando com suas opiniões sobre os conteúdos das disciplinas e suas experiências de vida, enriquecendo o processo formativo de forma colaborativa.

É importante nesse momento esclarecer, que a modalidade EAD, cumpre por meio da disponibilização e realização das atividades a legislação vigente de integralização da carga horária obrigatória com mediações didático-pedagógicas que, sem qualquer diferenciação da modalidade presencial, possibilitam o registro acadêmico em seus históricos escolares e ao final a devida diplomação de sua formação.

No site da UNOPAR Virtual podem ser encontrados eventos de extensão e notícias pertinentes ao curso. Além do Ambiente Virtual de Aprendizagem, disponibilizado na página da UNOPAR VIRTUAL caracterizando a modalidade EAD, que apresenta ferramentas que oportunizam o aprofundamento de seus conhecimentos e o acompanhamento de seus estudos.

CONCEITOModalidade ead

Segundo o MEC - Ministério da Educação e Cultura, “educação a distância é caracterizada por um processo de ensino e aprendizagem realizado com mediação docente e a utilização de recursos didáticos sistematicamente organizados, apresentados em diferentes suportes tecnológicos de informação e comunicação, os quais podem ser utilizados de forma isolada ou combinadamente, sem a freqüência obrigatória de alunos e professores, nos termos do art. 47, § 3º, da Lei de Diretrizes e Bases.” Os cursos a distância são projetados para alcançar os alunos dispersos geograficamente, oferecendo uma maior flexibilidade de horário e atendendo aos diversos ritmos de aprendizagem.

!

Page 7: Guia de Percurso

7

CU

RS

O S

UP

ERIO

R D

E TE

CN

OLO

GIA

EM

AN

ÁLI

SE

E D

ESEN

VO

LVIM

ENTO

DE

SIS

TEM

AS

Guia de Percurso - análise e desenvolvimento de sistemas

OBJETIVO DO CURSO

O curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas tem como objetivo formar profissionais com domínio do uso da informática e da computação como ferramenta e apoio na geração da informação. O curso apóia-se em objetivos como o desenvolvimento da capacidade crítica e reflexiva do aluno fundamentada em valores de responsabilidade socioambiental, de ética e cidadania.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

O desenvolvimento de seu curso tem como objetivos específicos:

• Capacitar, o aluno, na investigação, compreensão e documentação do funcionamento de processos de trabalho utilizado nas relações humanas de organização, gestão e negócios; • Habilitar, o aluno, a analisar soluções que utilizem tecnologia para agilizar e disciplinar a execução dos processos investigados; • Prover, ao aluno, condições de avaliar recursos tecnológicos a serem utilizados na implementação da solução analisada; • Propiciar, ao aluno, formas de projetar e especificar todos os elementos componentes da solução proposta, desde a interface do usuário até a arquitetura de funcionamento; • Propiciar ao aluno a implementação do sistema de informação, de acordo com as tecnologias escolhidas; • Capacitar o aluno a implantar a solução informatizada, apoiada em documentos de ajuda e manuais de utilização para o usuário; e • Possibilitar, ao aluno, condições de acompanhar e gerenciar o sistema implantado, providenciando a geração dos resultados aspirados na análise e no desenvolvimento do sistema.

ATUAÇÃO PROFISSIONAL

Você, aluno, ao obter o Grau de tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas formado pela UNOPAR, através do sistema de Ensino Presencial Conectado EAD, pode atuar de maneira autônoma ou em organizações de pequeno, médio ou grande porte desenvolvendo projetos de desenvolvimento de sistemas de informação, de bancos de dados, de redes de computadores, gerenciando equipamentos de tecnologia da informação, administrando departamentos de tecnologia, mediando aprendizado em instituições de ensino superior e em outras atividades que envolvem as habilidades adquiridas no curso.

PERFIL DO EGRESSO O Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas analisa, projeta, documenta, especifica, testa,

implanta e mantém sistemas computacionais de informação. Esse profissional trabalha também com ferramentas computacionais, equipamentos de informática e metodologia de projetos na produção de sistemas. São fundamentais à atuação desse profissional habilidades, como raciocínio lógico, emprego de linguagens de programação e de metodologias de construção de projetos, preocupação com a qualidade, usabilidade, robustez, integridade e segurança de programas computacionais.

Page 8: Guia de Percurso

8

CU

RS

O S

UP

ERIO

R D

E TE

CN

OLO

GIA

EM

AN

ÁLI

SE

E D

ESEN

VO

LVIM

ENTO

DE

SIS

TEM

AS

Guia de Percurso - análise e desenvolvimento de sistemas

Esse profissional pode exercer funções como:

• Analista de Sistemas; • Analista de Suporte Técnico; • Programador de Linguagens Computacionais; • Gerente de Projetos de Sistemas de Informação; • Administrador de Bancos de Dados; • Administrador de Redes de Computadores; • Consultor de Sistemas e Tecnologias de Informação; e • Docente.

ESTRUTURA DO CURSO

O desenvolvimento do seu curso envolve um total de 2.460 (duas mil quatrocentas e sessenta) horas, integralizadas em um período mínimo de 6 (seis) semestres. A estrutura do curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas da UNOPAR, apóia-se no Sistema de Ensino Presencial Conectado, com recursos multimidiáticos, pelos quais se promove a interação, comunicação, troca de idéias e experiências entre os sujeitos envolvidos, tendo como foco a sua formação.

Para garantir a comunicação entre alunos, professores e tutores, o desenho do curso propõe o seu desenvolvimento nas modalidades a distância e presencial, tendo como base uma metodologia interativa e problematizadora.

Esta metodologia caracteriza-se pela articulação entre conceitos e situações problema, levantamento de hipóteses, orientações e proposições de planejamento de situações experimentais para testagem de hipóteses através do desenvolvimento compartilhado e que culminem em atividades e projetos interdisciplinares.

No decorrer de sua semana, o desenvolvimento das disciplinas ocorrerá conforme cronograma apresentado em seu ambiente virtual “Colaborar”, no ícone Iniciando o semestre.

Para sua organização de tempo e prazos a serem cumpridos para a entrega das atividades, é necessário que você aluno, tenha disciplina e administre seu tempo e também tenha responsabilidade no cumprimento das atividades propostas.

Para o cumprimento das atividades Web do seu curso, a UNOPAR disponibiliza um Ambiente Virtual de Aprendizagem, o “Colaborar”. Para acesso ao Ambiente você terá login e senha específicos, através dos quais terá o acesso aos materiais das teleaulas e de apoio, para as web aulas, para participar do fórum de discussão das disciplinas com os professores, tutores, e seus colegas do curso, para os chats agendados pelos docentes, participar da sala de tutor e tirar suas dúvidas com os tutores a distância, e ainda orientações que se fizerem necessárias.

O mesmo login, possibilita o seu acesso à Biblioteca Digital, onde são disponibilizadas as teleaulas, bibliografia básica e complementar do curso, sugestões de leituras complementares, entre outras opções importantes para apoiar você em seus estudos.

recursos MultiMidiáticos

Tele aula via satélite, Webaulas, Ambiente virtual de aprendizagem “Colaborar”, Biblioteca digital, Laboratórios virtuais; material impresso.

!CONCEITO

Page 9: Guia de Percurso

CU

RS

O S

UP

ERIO

R D

E TE

CN

OLO

GIA

EM

AN

ÁLI

SE

E D

ESEN

VO

LVIM

ENTO

DE

SIS

TEM

AS

Guia de Percurso - análise e desenvolvimento de sistemas

SUA SEMANA DE CURSO Semanalmente, você possui momentos presenciais, nos quais

ocorrem as teleaulas e aula atividade. Para tanto você deve assisti-las no pólo de apoio no qual você está matriculado. A frequência é obrigatória, e você deve ter no mínimo 50% de presença em cada uma das disciplinas. Estes encontros presenciais são momentos de aprendizagem compostos por aulas ao vivo com os professores das disciplinas, transmitidas via satélite nos quais, em tempo real, você poderá comunicar-se com os professores por meio de chat e voz. Portanto, não deixe de participar!

Nos demais dias da semana, ocorrem os momentos não presenciais, que devem ser realizados no Ambiente Virtual de Aprendizagem “Colaborar”. Tais momentos são compostos por atividades web como as webaulas, avaliações virtuais, produções textuais, livros digitais, fórum de discussão e sistema de mensagens.

No Ambiente Virtual de Aprendizagem, você terá o acompanhamento por meio da mediação pedagógica tutorial a distância. As interações serão efetivadas intensivamente pela web, na sala do tutor e no fórum da disciplina.

A Webaula constitui-se de um hipertexto, elaborado pelo professor especialista cujo objetivo é o de ampliar, aprofundar os conhecimentos, e é um rico instrumento pedagógico que utiliza recursos ampliados, dialógicos e interativos para potencializar a construção do conhecimento. Leia as webaulas, participe de suas atividades, navegue por ela e faça de seu processo educativo um caminho repleto de descobertas e aprofundamentos.

A leitura atenta e participação na webaula são fundamentais para a realização da avaliações virtuais previstas na disciplina, como também a participação nos fóruns de discussão.

As avaliações virtuais são em número de quatro para cada disciplina e devem ser realizadas, com consulta aos materiais didáticos disponibilizados a você. Assim para realizá-las com o aproveitamento suficiente para sua aprovação, orientamos que você tenha o tempo necessário e também tenha à mão os materiais didáticos para a consulta. Evite realizar essas atividades sem a dedicação adequada, pois elas são obrigatórias e você poderá reprovar na disciplina se não obtiver o conceito mínimo “suficiente” exigido. Dedique-se.

Você deve participar semanalmente do fórum de discussão da disciplina que ocorre no Ambiente Virtual de Aprendizagem “Colaborar”. Por meio dele, você poderá interagir e discutir com seus colegas de turma, que estão em pólos distintos, distribuídos pelo Brasil, para socialização do saber e enriquecimento dos conhecimentos.

Consulte semanalmente sua agenda e seu cronograma de atividades para que você não deixe de realizar o que foi programado no curso, perdendo o prazo estabelecido pelos professores. Fique Atento.

No ambiente “Colaborar” você terá um repositório de atividades, propostas e obrigatórias de seu curso, chamado de portfólio, cujas orientações são disponibilizadas com prazo definido e divulgados para que você possa realizá-las a contento. Apesar do prazo definido antecipadamente, não deixe para a última hora a realização de tais atividades. Procure realizá-las um pouco a cada semana e assim você poderá contar com o acompanhamento realizado pelos tutores e professores, por meio da mediação pedagógica a distância. Organize-se.

Essas atividades citadas são compostas por produções textuais interdisciplinares, individuais e em grupo e são avaliadas e conceituadas por meio de critérios estabelecidos pelos professores. São atividades relacionadas aos conteúdos trabalhados no conjunto de materiais didáticos, como teleaula, webaula, material didático impresso,e bibliografia básica indicada e disponível na biblioteca física e digital. Tem ainda por objetivo estabelecer a relação entre a teoria e a prática, e a aplicação dos conteúdos à realidade local e regional dos alunos participantes do curso.

Sempre que precisar, na sala de tutor, você encontrará orientações para apoio às atividades de pesquisa na realização das atividades propostas, assim não deixe de participar semanalmente.

Ao início de cada semestre você recebe gratuitamente o material didático impresso, composto de um livro texto para cada disciplina. Tal material pedagógico foi especialmente desenvolvido pelo professor da disciplina, para oferecer a você aprofundamento do conteúdo, assim como o acompanhamento tanto da teleaula como

9

CONCEITO

aVa – aMbiente Virtual de aprendizageM Ambiente tecnológico na Internet. Nele é possível entrar em contato com os conteúdos, web aula e pelo fórum e chat ter uma interação com colegas e orientadores (professores e tutores) durante todo o processo de ensino e aprendizagem. É assim que, através desse ambiente, os alunos constroem o conhecimento e são acompanhados pelos docentes por meio de fóruns, web aulas e mensagens. Tais ações, realizadas no Ambiente virtual, criam uma rede colaborativa em que por meio da interatividade são ultrapassadas as limitações da distância física, aproximando alunos, docentes e tutores, em um processo de ensino de aprendizagem autônomo e cooperativo, o que torna estudar a distância uma experiência diferenciada. Para acessar o Ambiente Virtual de Aprendizagem você deve ter login e senha, que você pode obter na página da UNOPAR VIRTUAL em www.unoparvirtual.com.br/senha/php , tendo em mãos seu numero de matrícula.As informações e orientações para uso do ambiente de aprendizagem são disponibilizadas para os alunos no ícone tutoriais na 1ª página do Ambiente Virtual de Aprendizagem “Colaborar”.

!

Page 10: Guia de Percurso

10

CU

RS

O S

UP

ERIO

R D

E TE

CN

OLO

GIA

EM

AN

ÁLI

SE

E D

ESEN

VO

LVIM

ENTO

DE

SIS

TEM

AS

Guia de Percurso - análise e desenvolvimento de sistemas

da webaula. Lembre-se que estudar a distância exige que você administre seu tempo. Assim, você deve organizar a leitura do material didático impresso, por semana. Lembre-se de ler durante a semana o livro texto de cada disciplina. Seu conteúdo é fundamental para a realização das atividades programadas, para sua participação e compreensão da teleaula e da web aula além de ser componente obrigatório das provas presenciais.

A bibliografia do curso pode ser consultada na biblioteca digital via ambiente virtual e também na biblioteca física do seu pólo e são excelente fonte de pesquisa e suporte para a realização das atividades do seu curso.

Por meio do sistema de mensagem, você poderá manter uma comunicação com o tutor a distância, com o tutor de sala, com os docentes e com a coordenação de seu curso, para tirar dúvidas pertinentes.

obserVaÇÕes:Os tópicos acima são desejáveis a qualquer curso, mas, em termos de EAD, por sua especificidade, tornam-se essenciais. Lembre-se que em seus estudos você não está sozinho, os professores e tutores estão à disposição para ajudá-lo durante todo o processo. Além disso, você conta com a oportunidade de interagir com seus colegas de curso.

alguMas recoMendaÇÕes: • Procure um bom local para se concentrar sem distrações; • Leia as orientações com muita atenção, elas serão sua bússola durante as atividades; • Fique atento aos prazos para cumprimento das tarefas; • Determine seus objetivos com prazos determinados; • Estabeleça um tempo mínimo diário para estudos de acordo com seu ritmo e disponibilidade; • Leia os textos procurando pelos pontos-chave, destaque-os e depois faça uma síntese; • Elucide suas dúvidas antes de seguir em frente, para garantir a sua correta assimilação; • Use dicionários; • Pesquise continuamente em livros, revistas, artigos, Internet, mantendo uma visão atualizada sobre o conteúdo que está estudando. Isso enriquecerá seu processo de aprendizagem, trazendo novos conceitos e linguagens.

ORIENTAÇÕES IMPORTANTES

portfólio

Caro Aluno: entende-se por portfólio o conjunto das Produções Textuais inseridas no Ambiente Virtual de Aprendizagem - AVA, das práticas pedagógicas, dos trabalhos interdisciplinares e das diversas atividades do curso.

CONCEITO

!

Page 11: Guia de Percurso

11

CU

RS

O S

UP

ERIO

R D

E TE

CN

OLO

GIA

EM

AN

ÁLI

SE

E D

ESEN

VO

LVIM

ENTO

DE

SIS

TEM

AS

Guia de Percurso - análise e desenvolvimento de sistemas

P R O F I S S I O N A I S ENVOLVIDOS

Além de você, fazem parte do Sistema de Ensino Presencial Conectado, a modalidade de educação a distancia ofertada pela UNOPAR, profissionais específicos, organizados em uma equipe multidisciplinar capacitados e qualificados, que promovem, acompanham e orientam a você aluno em seu percurso. Dentre esses profissionais destacamos os mais próximos a você.

• Professores especialistas - responsáveis por ministrar as teleaulas; selecionar, planejar e desenvolver o conteúdo das aulas; elaborar, redigir o material de apoio e da aula-atividade; acompanhar a aula-atividade e participar no planejamento, na organização e na orientação das atividades de estágio e Trabalho de Conclusão de Curso quando houver. Você terá contato com o docente por meio das teleaulas ao vivo, e aulas atividade, que ocorrem semanalmente no pólo de apoio presencial, por meio das webaulas, nos fóruns de discussão, e mensagens, disponibilizados no Ambiente Virtual de Aprendizagem “Colaborar”, em que você irá realizar as atividades previstas em seu curso.

• Tutor a distância - Profissional com formação na área do curso, que acompanha o processo de ensino e aprendizagem do aluno como mediador e responsável pela aproximação e articulação entre os alunos, tutores de sala e professores especialistas. Desempenha papel importante no atendimento ao aluno, acompanhando o processo de construção da aprendizagem, em conjunto com o docente. Esse Tutor tem como função, orientar os alunos, por meio do Ambiente Virtual de Aprendizagem “Colaborar”, na realização das atividades, prestando esclarecimentos das dúvidas e procedimentos, orientando os estudos, buscando dirimir as dúvidas dos alunos. Você terá contato com seu tutor a distância, no ambiente virtual de aprendizagem, na sala do tutor, espaço no qual o tutor estará a disposição para orientá-lo e responder suas dúvidas. Além disso pelo sistema de mensagens você receberá e poderá enviar mensagens ao seu tutor a distancia.

A mediação Pedagógica a distância também pode ser realizada por um professor, que além de acompanhá-lo em seu processo de ensino e aprendizagem, poderá desenvolver as atividades de pesquisa e extensão previstas pela coordenação em seu curso.

• Tutor Presencial - Profissional com formação na área do curso, que acompanha presencialmente, no pólo de apoio presencial, o processo de ensino e aprendizagem do aluno. Atua como mediador para o processo de ensino e aprendizagem encaminhando dúvidas, sugestões, comentários e a participação dos alunos durante as teleaulas e aulas atividade. É também responsável pelo registro da frequência dos alunos, a aplicação das provas, e o acompanhamento das atividades de práticas pedagógicas, estágio e trabalho de conclusão do curso, sempre que houver. Suas ações devem motivar os alunos a progredir no curso, como também estimular a responsabilidade, comprometimento, disciplina e organização da sala de aula. O tutor presencial também participa dos fóruns das disciplinas junto com os docentes responsáveis pelas disciplinas, professores que realizam a mediação a distancia, tutores a distância e alunos.

O seu papel nesse sistema é, sem dúvida, o mais importante, pois você é o grande responsável pela aprendizagem. A principal meta é aprender, ou seja empenhar-se em compreender, pesquisar, aplicar e construir o conhecimento.Um aluno que opta por estudar a distância exercita a sua autonomia, administrando seu tempo para a realização das atividades propostas no curso, uma vez que ele é o centro do processo de ensino e aprendizagem. O aluno tem a oportunidade de explorar e reconhecer seus pontos fortes, suas limitações; interagir com seus pares, bem como o dever de cumprir com as atividades planejadas. Essa forma de contrato didático é o alicerce que constitui comunidades virtuais de aprendizagem dinâmicas e efetivas.

!ALUNO

Page 12: Guia de Percurso

12

CU

RS

O S

UP

ERIO

R D

E TE

CN

OLO

GIA

EM

AN

ÁLI

SE

E D

ESEN

VO

LVIM

ENTO

DE

SIS

TEM

AS

Guia de Percurso - análise e desenvolvimento de sistemas

BIBLIOTECA DIGITAL A Biblioteca Digital da UNOPAR disponibiliza diversos materiais bibliográficos ao aluno para colaborar com o

processo educacional do ensino presencial Conectado, com a finalidade de prover informações a qualquer hora, com acesso de qualquer lugar. Os objetivos da Biblioteca digital são:

• Disponibilizar os documentos sob a forma digital; • Oferecer suporte informacional à equipe de EAD (alunos, professores especialistas, tutores, conteudistas) e responder prontamente as suas necessidades informacionais; • Implementar a mediação da informação entre a biblioteca digital e os seus usuários finais; • Oferecer uma forma alternativa de preservação e armazenamento dos objetos digitais; • Garantir o armazenamento e recuperação de todas as versões dos materiais produzidos no âmbito dos cursos de EAD oferecidos pela instituição.

O acesso à Biblioteca digital dá-se pelo site da UNOPAR Virtual, possibilitando ao aluno de EAD o uso dos objetos digitais como, por exemplo, aulas, vídeos, livros eletrônicos, artigos de periódicos, entre outros. Lembre-se que você precisa ter seu login e senha para acessar.

Page 13: Guia de Percurso

13

CU

RS

O S

UP

ERIO

R D

E TE

CN

OLO

GIA

EM

AN

ÁLI

SE

E D

ESEN

VO

LVIM

ENTO

DE

SIS

TEM

AS

Guia de Percurso - análise e desenvolvimento de sistemas

ORGANIZAÇÃO DO CURSO

O curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas tem duração de três anos, ou seja, 2.460 (duas mil, quatrocentas e sessenta) horas de atividades relativas aos conteúdos curriculares distribuídas em seis semestres ofertados semestralmente, sendo: • 2.160 (duas mil, cento e sessenta) horas - a serem cumpridas por meio de: 1) presença semanal do aluno nas teleaulas e aulas-atividades; 2) web-aulas e atividades web que são realizadas pelo aluno conforme programação agendada; 3) Atividades de autoestudo realizadas pelo aluno a partir do material didático impresso, e outros disponibilizados; • 200 (duzentas) horas - Estágio Curricular Obrigatório - TCC realizados em áreas específicas; • 100 (cem) horas - Atividades Complementáres Obrigatórias - ACO, constituídas de atividades teórico-práticas, visando o aprofundamento em áreas específicas de interesse dos alunos, por meio, da iniciação científica, da extensão e da monitoria.

Page 14: Guia de Percurso

14

CU

RS

O S

UP

ERIO

R D

E TE

CN

OLO

GIA

EM

AN

ÁLI

SE

E D

ESEN

VO

LVIM

ENTO

DE

SIS

TEM

AS

Guia de Percurso - análise e desenvolvimento de sistemas

MATRIZ CURRICULAR

1º SEMESTREFUNDAMENTOS DA INFORMAÇÃO

FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO DA INFORMAÇÃO 80FUNDAMENTOS DE LÓGICA E MATEMÁTICA DISCRETA 80LINGUAGENS E TÉCNICAS DE PROGRAMAÇÃO I 80ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES 80EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 20SEMINÁRIO I 40TOTAL 380

2º SEMESTREFUNDAMENTOS DE SISTEMAS COMPUTACIONAIS

ANÁLISE DE SISTEMAS I 40BANCO DE DADOS I 80ENGENHARIA DE SOFTWARE 80LINGUAGENS E TÉCNICAS DE PROGRAMAÇÃO II 80SEMINÁRIOS II 80TOTAL 360

3º SEMESTREFUNDAMENTOS DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

ALGORITMOS E ESTRUTURAS DE DADOS 80ANÁLISE DE SISTEMAS II 80BANCO DE DADOS II 80 DESENVOLVIMENTO ORIENTADO A OBJETOS I 80SEMINÁRIOS III 20 TOTAL 340

4º SEMESTRE ANÁLISE DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

ANÁLISE DE SISTEMAS III 80ÉTICA E RESPONSABILIDADE SOCIAL 60DESENVOLVIMENTO ORIENTADO A OBJETOS II 80LINGUAGENS E TÉCNICAS DE PROGRAMAÇÃO III 60SEMINÁRIOS IV 20COMUNICAÇÃO DE DADOS E TELEPROCESSAMENTO 60TOTAL 360

Page 15: Guia de Percurso

15

CU

RS

O S

UP

ERIO

R D

E TE

CN

OLO

GIA

EM

AN

ÁLI

SE

E D

ESEN

VO

LVIM

ENTO

DE

SIS

TEM

AS

Guia de Percurso - análise e desenvolvimento de sistemas

5º SEMESTREPROJETO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

METODOLOGIA DA PESQUISA CIENTÍFICA 60PROJETO DE SISTEMAS 80SISTEMAS OPERACIONAIS 60ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO I - TCC 100REDES DE COMPUTADORES 80SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO 60SEMINÁRIOS V 20TOTAL 460

6º SEMESTREGESTÃO DO CONHECIMENTO

DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÃO WEB 80GESTÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 80PROJETO DE INTERFACE HOMEM-COMPUTADOR 80ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO II - TCC 100TÓPICOS ESPECIAIS EM DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS 80SEMINÁRIOS VI 40TOTAL 460

ATIVIDADES COMPLEMENTARES OBRIGATÓRIAS 100TOTAL DO CURSO 2.460

Page 16: Guia de Percurso

16

CU

RS

O S

UP

ERIO

R D

E TE

CN

OLO

GIA

EM

AN

ÁLI

SE

E D

ESEN

VO

LVIM

ENTO

DE

SIS

TEM

AS

Guia de Percurso - análise e desenvolvimento de sistemas

EMENTAS:

1° SEMESTRE FUNDAMENTOS DA INFORMAÇÃO

Neste semestre é feita a apresentação do curso na disciplina “Seminário I”, bem como dos conceitos introdutórios ao subsídio elementar do curso: a informação.

FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO DA INFORMAÇÃO Conceitos básicos de sistemas. Conceitos e aplicações de tecnologia da informação. Planejamento estratégico da informação. Atribuições dos profissionais das áreas geradoras e gestoras de sistemas.

Bibliografia BásicaAUDY, Jorge Luis Nicolas; ANDRADE, Gilberto Keller de; CIDRAL, Alexandre. Fundamentos de sistemas de informação. Porto Alegre: Artmed, 2005. BATISTA, Emerson de Oliveira. Sistemas de informação: o uso consciente da tecnologia para o gerenciamento. São Paulo: Saraiva, 2008.LAUDON, Kenneth C.; LAUDON, Jane Price. Sistemas de informação gerenciais: administrando a empresa digital. 5. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2006.

FUNDAMENTOS DE LÓGICA E MATEMÁTICA DISCRETA Estudo dos princípios fundamentais da lógica: cálculo proporcional, proposições, operações lógicas e argumentos válidos; e da matemática discreta: álgebra dos conjuntos, operações com conjuntos, relações entre álgebra de conjuntos e a álgebra de proposições, e indução matemática.

Bibliografia BásicaALENCAR FILHO, Edgar de. Iniciação à lógica matemática. São Paulo: Nobel, 2009.DEMANA, Franklin D. et al. Pré-cálculo. São Paulo: Pearson, 2009. ROCHA, Enrique. Raciocínio lógico: você consegue aprender: teoria e questões. 2 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2007. (Provas e concursos).

ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES Formas de representação numérica: base binária, octal, decimal e hexadecimal. Conversão entre as bases numéricas. Noções de álgebra booleana. Introdução a sistemas digitais. Circuitos: de memória, combinacionais, sequenciais e lógicos integrados. Elementos de um computador. Organização de computadores digitais. Unidades funcionais. Micro-operações. Organização do processador. Organização de sistemas de memória.

Bibliografia BásicaMONTEIRO, Mário A. Introdução à organização de computadores. 5. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2007.STALLINGS, William. Arquitetura e organização de computadores: projeto para o desempenho. 5. ed. São Paulo: Pearson, 2005. TANENBAUM, Andrew S. Organização estruturada de computadores. 5. ed. São Paulo: Pearson, 2009.

Page 17: Guia de Percurso

17

CU

RS

O S

UP

ERIO

R D

E TE

CN

OLO

GIA

EM

AN

ÁLI

SE

E D

ESEN

VO

LVIM

ENTO

DE

SIS

TEM

AS

Guia de Percurso - análise e desenvolvimento de sistemas

LINGUAGENS E TÉCNICAS DE PROGRAMAÇÃO I Introdução ao conceito de algoritmos. Conceitos de abstração. Conceitos de variáveis, tipos de dados, constantes, operadores lógicos e aritméticos, atribuição, estruturas de controle. Conceito de subprogramas. Desenvolvimento de algoritmos.

Bibliografia BásicaAHO, Alfred V. et al. Compiladores: princípios, técnicas e ferramentas. 2. ed. São Paulo: Pearson, 2008. ASCENCIO, Ana Fernanda Gomes; CAMPOS, Edilene Aparecida Veneruchi de. Fundamentos da programação de computadores: algoritmos, Pascal, C/C++ e Java. 2. ed. São Paulo: Pearson, 2009. PUGA, Sandra; RISSETTI, Gerson. Lógica de programação e estruturas de dados: com aplicações em Java. 2. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2009.

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Fundamentos de EaD. Organização de sistemas de EaD: processo de comunicação, processo de tutoria, avaliação. Relação dos sujeitos da prática pedagógica no contexto da EaD. Ambientes virtuais de Aprendizagem. Apropriação do Ambiente Virtual de Aprendizagem.

Bibliografia BásicaFUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS. Educação corporativa. São Paulo: Pearson, 2004.LITTO, Fredric M.; FORMIGA, Marcos (Org.). Educação à distância: o estado da arte. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2009. MAIA, Carmem; MATTAR, João. ABC da EAD: a educação a distância hoje. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2007.

SEMINÁRIO I Tópicos abordados no 1º semestre: Fundamentos da Informação, por meio de fóruns de debates.

Bibliografia BásicaAUDY, Jorge Luis Nicolas; ANDRADE, Gilberto Keller de; CIDRAL, Alexandre. Fundamentos de sistemas de informação. Porto Alegre: Artmed, 2005. ASCENCIO, Ana Fernanda Gomes; CAMPOS, Edilene Aparecida Veneruchi de. Fundamentos da programação de computadores: algoritmos, Pascal, C/C++ e Java. 2. ed. São Paulo: Pearson, 2009. MONTEIRO, Mário A. Introdução à organização de computadores. 5. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2007.

2° SEMESTRE FUNDAMENTOS DE SISTEMAS COMPUTACIONAIS

Neste semestre é dada continuidade a alguns temas tratados no primeiro semestre, além de introduzir metodologias de análise do funcionamento de processos realizados nas empresas, abordar mecanismos de armazenamento e organização de dados e ainda, apresentar técnicas de programação basEaDas em uma linguagem comumente utilizada no mercado de trabalho do egresso.

Page 18: Guia de Percurso

18

CU

RS

O S

UP

ERIO

R D

E TE

CN

OLO

GIA

EM

AN

ÁLI

SE

E D

ESEN

VO

LVIM

ENTO

DE

SIS

TEM

AS

Guia de Percurso - análise e desenvolvimento de sistemas

ENGENHARIA DE SOFTWARE Conceitos básicos de engenharia de software. Modelos de Ciclo de vida. Gerenciamento de projetos. Métricas. Engenharia de requisitos. Qualidade, Testabilidade e Manutenibilidade de software.

Bibliografia BásicaMCCONNELL, Steve. Code complete: um guia prático para a construção de software. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2005.PFLEEGER, Shari Lawrence – Engenharia de Software: Teoria e Prática. 2ª ed. São Paulo: Pearson, 2007SOMMERVILLE, Ian. Engenharia de software. 8ª ed. São Paulo: Pearson, 2009

ANÁLISE DE SISTEMAS I Conceitos da análise orientada a objetos. Princípios do paradigma da orientação a objetos. Utilização de modelos de apoio a análise. Aplicação da análise através de estudos de caso.

Bibliografia BásicaBOOCH, Grady; RUMBAUGH, James, JACOBSON, Ivar. UML: guia do usuário. 2. ed. Rio de Janeiro. Elsevier, 2006. LARMAN, Craig. Utilizando UML e padrões: uma introdução à análise e ao projeto orientados a objetos e ao desenvolvimento iterativo. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2008. MEDEIROS, Ernani Sales de. Desenvolvendo software com UML 2.0: definitivo. São Paulo: Pearson, 2009.

BANCO DE DADOS I Modelo de dados. Modelagem de banco de dados. Sistemas de Gerenciamento de Banco de Dados (SGBD).

Bibliografia BásicaDATE, C. J. Introdução a sistemas de bancos de dados. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004.ELMASRI, Ramez; NAVATHE, Shamkant B. Sistemas de banco de dados. 4. ed. São Paulo: Pearson, 2009. MACHADO, Felipe Nery Rodrigues; ABREU, Maurício Pereira de. Projeto de banco de dados: uma visão prática. 15. ed. São Paulo: Érica, 2008.

LINGUAGENS E TÉCNICAS DE PROGRAMAÇÃO II Subprogramas, passagem de parâmetros e escopo de variáveis. Conceito de implementação de recursividade. Ponteiros e alocação dinâmica de memória. Manipulação de arquivos. Programação estruturada de problemas e complexidade média. Implementação em linguagem de alto nível.

Bibliografia BásicaASCENCIO, Ana Fernanda Gomes; CAMPOS, Edilene Aparecida Veneruchi de. Fundamentos da programação de computadores: algoritmos, Pascal, C/C++ e Java. 2. ed. São Paulo: Pearson, 2009. DEITEL, Harvey; DEITEL, Paul; STEINBUHLER, Kate. C# como programar. São Paulo: Pearson, 2007.PUGA, Sandra; RISSETTI, Gerson. Lógica de programação e estruturas de dados: com aplicações em Java. 2. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2009.

Page 19: Guia de Percurso

19

CU

RS

O S

UP

ERIO

R D

E TE

CN

OLO

GIA

EM

AN

ÁLI

SE

E D

ESEN

VO

LVIM

ENTO

DE

SIS

TEM

AS

Guia de Percurso - análise e desenvolvimento de sistemas

SEMINÁRIO II Tópicos abordados no 2º semestre: Fundamentos de Sistemas Computacionais, por meio de fóruns de debates.

Bibliografia BásicaBOOCH, Grady; RUMBAUGH, James, JACOBSON, Ivar. UML: guia do usuário. 2. ed. Rio de Janeiro. Elsevier, 2006. DATE, C. J. Introdução a sistemas de bancos de dados. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004.DEITEL, Harvey; DEITEL, Paul; STEINBUHLER, Kate. C# como programar. São Paulo: Pearson, 2007.

3° SEMESTRE FUNDAMENTOS DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

Neste semestre é dada continuidade a alguns temas tratados no segundo semestre, além de integrar análise e programação de sistemas de informação num paradigma recente: a orientação a objetos; são apresentados modelos de programação de computadores e técnicas de definição e consulta de bancos de dados utilizando softwares específicos para tal.

DESENVOLVIMENTO ORIENTADO A OBJETOS I Integração das fases de análise e implementação, conforme o paradigma orientado a objetos.

Bibliografia BásicaBARNES, David J.; KÖLLING, Michael. Programação orientada a objetos como Java: uma introdução prática usando o Bluej. 4. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2009.PAGE-JONES, Meilir. Fundamentos do desenho orientado a objeto com UML. São Paulo: Pearson, 2001.SINTES, Anthony. Aprenda programação orientada a objetos em 21 dias. São Paulo: Makron Books, 2002.

ANÁLISE DE SISTEMAS II Desenvolvimento de sistemas de software, abrangendo as técnicas e ferramentas de modelagem da fase de análise. Ferramentas CASE.

Bibliografia BásicaBOOCH, Grady; RUMBAUGH, James; JACOBSON, Ivar. UML: guia do usuário. 2. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2006.LARMAN, Craig. Utilizando UML e padrões: Uma introdução à análise e ao projeto orientados a objetos e ao desenvolvimento iterativo. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2008. MEDEIROS, Ernani Sales de. Desenvolvendo software com UML 2.0: definitivo. São Paulo: Pearson, 2009.

Page 20: Guia de Percurso

20

CU

RS

O S

UP

ERIO

R D

E TE

CN

OLO

GIA

EM

AN

ÁLI

SE

E D

ESEN

VO

LVIM

ENTO

DE

SIS

TEM

AS

Guia de Percurso - análise e desenvolvimento de sistemas

BANCO DE DADOS II Projeto de banco de dados. Linguagem de consulta. Introdução a banco de dados distribuídos e orientado a objetos.

Bibliografia BásicaDATE, C. J. Introdução a sistemas de bancos de dados. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004. ELMASRI, Ramez; NAVATHE, Shamkant B. Sistemas de banco de dados. 4. ed. São Paulo: Pearson, 2009.FANDERUFF, Damaris. Dominando o Oracle 9i: modelagem e desenvolvimento. São Paulo: Pearson, 2003. SILBERSCHATZ, Abraham; KORTH, Henry F.; SUDARSHAM, S. Sistema de banco de dados. Rio de Janeiro: Elsevier, 2006.

ALGORITMOS E ESTRUTURAS DE DADOS Tipos de dados abstratos. Listas e seus casos específicos (pilha e fila). Recursividade. Algoritmos de pesquisa em listas. Classificação. Conceitos introdutórios sobre árvores e grafos.

Bibliografia BásicaASCENCIO, Ana Fernanda Gomes; CAMPOS, Edilene Aparecida Veneruchi de. Fundamentos da programação de computadores: algoritmos, Pascal, C/C++ e Java. 2. ed. São Paulo: Pearson, 2009. GOODRICH, Michael T.; TAMASSIA, Roberto. Estrutura de dados e algoritmos em java. 4. ed. Porto Alegre: Bookman, 2007. PUGA, Sandra; RISSETTI, Gerson. Lógica de programação e estruturas de dados: com aplicações em Java. 2. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2009.

SEMINÁRIO III Tópicos abordados no 3º semestre: Fundamentos dos Sistemas de Informação, por meio de foruns de debates.

Bibliografia BásicaASCENCIO, Ana Fernanda Gomes; CAMPOS, Edilene Aparecida Veneruchi de. Fundamentos da programação de computadores: algoritmos, Pascal, C/C++ e Java. 2. ed. São Paulo: Pearson, 2009. LARMAN, Craig. Utilizando UML e padrões: uma introdução à análise e ao projeto orientados a objetos e ao desenvolvimento iterativo. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2008. BARNES, David J.; KÖLLING, Michael. Programação orientada a objetos como Java: uma introdução prática usando o Bluej. 4. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2009.

Page 21: Guia de Percurso

21

CU

RS

O S

UP

ERIO

R D

E TE

CN

OLO

GIA

EM

AN

ÁLI

SE

E D

ESEN

VO

LVIM

ENTO

DE

SIS

TEM

AS

Guia de Percurso - análise e desenvolvimento de sistemas

4° SEMESTRE ANÁLISE DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

Neste semestre é dada continuidade a temas tratados no terceiro semestre, além de tratar de técnicas avançadas de análise de sistemas; é realizada a integração intrínseca entre programação e bancos de dados; são também introduzidos conceitos de redes de computadores.

ÉTICA E RESPONSABILIDADE SOCIAL Ética geral e empresarial. Responsabilidade social: abordagem histórica e conceitos. Terceiro Setor. Balanço Social. O meio ambiente e sustentabilidade.

Bibliografia BásicaBLANCHARD, Kenneth H.; PEALE, Norman Vincent. O poder da administração ética. Rio de Janeiro: Record, 2007.BRAGA, Benedito et al. Introdução à engenharia ambiental. 2. ed. São Paulo: Pearson, 2007. TAPSCOTT, Don; TICOLL, David. A empresa transparente: como a era da transparência revolucionará os negócios. São Paulo: M Books, 2005.

ANÁLISE DE SISTEMAS III Desenvolvimento de sistemas de informação abrangendo as técnicas e ferramentas de modelagem da fase de análise. Ferramentas CASE.

Bibliografia BásicaBOOCH, Grady; RUMBAUGH, James; JACOBSON, Ivar. UML: guia do usuário. 2. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2006.LARMAN, Craig. Utilizando UML e padrões: Uma introdução à análise e ao projeto orientados a objetos e ao desenvolvimento iterativo. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2008. MEDEIROS, Ernani Sales de. Desenvolvendo software com UML 2.0: definitivo. São Paulo: Pearson, 2009.

DESENVOLVIMENTO ORIENTADO A OBJETOS II Desenvolvimento de software, utilizando tecnologias orientadas a objetos. Introdução ao desenvolvimento basEaDo em componentes de software.

Bibliografia BásicaDEITEL, Harvey et al. C# como programar. São Paulo: Pearson, 2007.MEDEIROS, Ernani Sales de. Desenvolvendo software com UML 2.0: definitivo. São Paulo: Pearson, 2006. PAGE-JONES, Meilir. Fundamentos do desenho orientado a objeto com UML. São Paulo: Pearson, 2001. 465p.

Page 22: Guia de Percurso

22

CU

RS

O S

UP

ERIO

R D

E TE

CN

OLO

GIA

EM

AN

ÁLI

SE

E D

ESEN

VO

LVIM

ENTO

DE

SIS

TEM

AS

Guia de Percurso - análise e desenvolvimento de sistemas

LINGUAGENS E TÉCNICAS DE PROGRAMAÇÃO III Linguagem de programação comercial, conceitos, sintaxe. Estudo dos componentes da linguagem. Desenvolvimento de aplicativos.

Bibliografia BásicaASCENCIO, Ana Fernanda Gomes; CAMPOS, Edilene Aparecida Veneruchi de. Fundamentos da programação de computadores: algoritmos, Pascal, C/C++ e Java. 2. ed. São Paulo: Pearson, 2009.DEITEL, Harvey et al. C# como programar. São Paulo: Pearson, 2007.SAVITCH, Walter. C++ absoluto. São Paulo: Pearson, 2003.

COMUNICAÇÃO DE DADOS E TELEPROCESSAMENTO Conceitos e fundamentos de comunicação de dados e teleprocessamento. Interfaces de comunicação de dados e o funcionamento de modems.

Bibliografia BásicaKUROSE, James F.; ROSS, Keith W. Redes de computadores e a internet: uma abordagem top-down. 3. ed. São Paulo: Pearson, 2007.STALLINGS, William. Redes e sistemas de comunicação de dados. Rio de Janeiro: Campus, 2005. YOUNG, Paul H. Técnicas de comunicação eletrônica. 5. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2006.

SEMINÁRIO IV Tópicos abordados no 4º semestre: Análise de Sistemas de Informação, por meio de foruns de debates.

Bibliografia BásicaBOOCH, Grady; RUMBAUGH, James; JACOBSON, Ivar. UML: guia do usuário. 2. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2006.KUROSE, James F.; ROSS, Keith W. Redes de computadores e a internet: uma abordagem top-down. 3. ed. São Paulo: Pearson, 2007.BLANCHARD, Kenneth H.; PEALE, Norman Vincent. O poder da administração ética. Rio de Janeiro: Record, 2007.

5° SEMESTRE PROJETO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

Neste semestre é dada continuidade a temas tratados no quarto semestre, além de se abordar a viabilização do desenvolvimento de sistema de informação analisado, incrementar o conhecimento em redes de computadores, apresentar a disciplina de “Métodos e técnicas de pesquisa” para subsidiar as atividades de Estágio de Trabalho de Conclusão de Curso; e ainda, na disciplina de “Estágio Curricular Obrigatório I - TCC e apresentada a disciplina de “Estágio Curricular Obrigatório I” por meio da qual o aluno deverá ser acompanhado no desenvolvimento de uma atividade em uma empresa conveniada.

Page 23: Guia de Percurso

23

CU

RS

O S

UP

ERIO

R D

E TE

CN

OLO

GIA

EM

AN

ÁLI

SE

E D

ESEN

VO

LVIM

ENTO

DE

SIS

TEM

AS

Guia de Percurso - análise e desenvolvimento de sistemas

ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO I - TCC Atividade prática nas áreas de Engenharia de Software, Análise de Sistemas, Programação e Redes de Computadores vinculada a uma instituição/empresa e/ou em projetos de pesquisa da universidade. Elaboração do pré-projeto para o TCC.

Bibliografia BásicaBOOCH, Grady; RUMBAUGH, James; JACOBSON, Ivar. UML: guia do usuário. 2. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2006.DEITEL, Harvey et al. C# como programar. São Paulo: Pearson, 2007.CONVERSE, Tim; PARK, Joyce. PHP a bíblia. Rio de Janeiro: Campus, 2003.

METODOLOGIA DA PESQUISA CIENTÍFICA O papel da Ciência. Método e técnica. Tipos de pesquisa. Pesquisa qualitativa e quantitativa. Projeto de pesquisa. Relatório de pesquisa. Normalização, padronização, tipos, características e composição estrutural de trabalhos acadêmicos. Estilo de Redação. Normas de apresentação de trabalhos científicos.

Bibliografia BásicaBARROS, Aidil Jesus da Silveira; LEHFELD, Neide Aparecida de Souza. Fundamentos de metodologia científica. 3. ed. São Paulo: Pearson, 2007. CERVO, Amado Luiz; BERVIAN, Pedro Alcino; SILVA, Roberto da. Metodologia científica. 6. ed. São Paulo: Pearson, 2009.LAVILLE, Christian; DIONNE, Jean. A construção do saber: manual de metodologia da pesquisa em ciências humanas. Porto Alegre: Artes Médicas, 2008.

REDES DE COMPUTADORES Introdução a redes de computadores. Topologias de redes de computadores. Redes: LAN, MAN, WAN. Protocolos e serviços de comunicação. Gerenciamento de redes. Segurança em redes. Tópicos avançados de arquiteturas de redes ao nível logico e físico.

Bibliografia BásicaBIRKNER, Matthew H. Projeto de interconexão de redes: cisco internetwork design - CID. São Paulo: Makron Books, 2002. HERSENT, Olivier; GUIDE, David; PETIT, Jean-Pierre. Telefonia IP: comunicação multimídia baseada em pacotes. São Paulo: Addison-Wesley, 2002. KUROSE, James F.; ROSS, Keith W. Redes de computadores e a internet: uma nova abordagem. 3. ed. São Paulo: Addison-Wesley, 2007.

SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Engenharia social. Conceitos e princípios da segurança da informação. Principais vulnerabilidades dos sistemas computacionais. Políticas de segurança.

Bibliografia BásicaNAKAMURA, Emilio Tissato; GEUS, Paulo Lício de. Segurança de redes em ambientes cooperativos. São Paulo: Novatec, 2007. NORTHCUTT, Stephen. Como detectar invasão em rede: um guia para analistas. Rio de Janeiro: Ciência Moderna, 2000. STALLINGS, William. Criptografia e segurança de redes: princípios e práticas. 4. ed. São Paulo: Pearson, 2008.

Page 24: Guia de Percurso

24

CU

RS

O S

UP

ERIO

R D

E TE

CN

OLO

GIA

EM

AN

ÁLI

SE

E D

ESEN

VO

LVIM

ENTO

DE

SIS

TEM

AS

Guia de Percurso - análise e desenvolvimento de sistemas

SISTEMAS OPERACIONAIS Conceitos de processo. Sincronização de processos. Gerenciamento de memória. Memória virtual. Escalonamento de processos. Monoprocessamento e multiprocessamento. Alocação de recursos e dEaDlocks. Gerenciamento de arquivos. Técnicas de E/S. Métodos de acesso. Análise de desempenho.

Bibliografia BásicaDEITEL, Harvey; DEITEL, Paul; CHOFFNES, David R. Sistemas operacionais. 3. ed. São Paulo: Pearson, 2008. TANENBAUM, Andrew S. Sistemas operacionais modernos. 2. ed. São Paulo: Pearson, 2006. OLIVEIRA, Rômulo Silva de; CARISSINI, Alexandre da Silva; TOSCANI, Simão Sirineo. Sistemas operacionais. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2008. (Livros Didáticos. Instituto de Informática da UFRGS, nº 11).

PROJETO DE SISTEMAS Desenvolvimento de sistemas de software, abrangendo as técnicas e ferramentas de modelagem da fase de projeto. Ferramentas CASE.

Bibliografia BásicaBOOCH, Grady; RUMBAUGH, James; JACOBSON, Ivar. UML: guia do usuário. 2. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2006.LARMAN, Craig. Utilizando UML e padrões: uma introdução à análise e ao projeto orientados a objetos e ao desenvolvimento iterativo. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2008. MEDEIROS, Ernani Sales de. Desenvolvendo software com UML 2.0: definitivo. São Paulo: Pearson, 2009.

SEMINÁRIO V Tópicos abordados no 5º semestre: Projeto de Sistemas de Informação, por meio de foruns de debates.

Bibliografia BásicaBOOCH, Grady; RUMBAUGH, James; JACOBSON, Ivar. UML: guia do usuário. 2. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2006.CONVERSE, Tim; PARK, Joyce. PHP a bíblia. Rio de Janeiro: Campus, 2003. DEITEL, Paul J.; DEITEL, Harvey M. Ajax, Rich Internet Applications e desenvolvimento web para programadores. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2009. (Série do programador). DEITEL, Harvey; DEITEL, Paul; CHOFFNES, David R. Sistemas operacionais. 3. ed. São Paulo: Pearson, 2008.

6° SEMESTRE GESTÃO DO CONHECIMENTO

Neste último semestre é viabilizada a elaboração do Trabalho de Conclusão de Curso - TCC em complemento às atividades realizadas no Estágio; são combinados: programação de computadores com utilização de bancos de dados e redes de computadores em sistemas de informação; são estudadas maneiras do ser humano interagir com os sistemas; é abordado o processo de gestão do conhecimento desde sua geração até a tomada de decisão nas empresas.

Page 25: Guia de Percurso

25

CU

RS

O S

UP

ERIO

R D

E TE

CN

OLO

GIA

EM

AN

ÁLI

SE

E D

ESEN

VO

LVIM

ENTO

DE

SIS

TEM

AS

Guia de Percurso - análise e desenvolvimento de sistemas

ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO II - TCC Trabalho de conclusão de curso - TCC. Estudo de caráter interdisciplinar de escolha pessoal sob orientação acadêmica, incorporando aspectos teóricos e práticos, de pesquisa e desenvolvimento na área de análise e desenvolvimento de sistemas. Elaboração do relatório final.

Bibliografia BásicaUNIVERSIDADE NORTE DO PARANÁ. Normas e padrões para trabalhos acadêmicos: de acordo com a Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT. 2. ed. Londrina: EDUNOPAR, 2007.CERVO, Amado Luiz; BERVIAN, Pedro Alcino; SILVA, Roberto da. Metodologia científica. 6. ed. São Paulo: Pearson, 2006. 176p.BARROS, Aidil Jesus da Silveira; LEHFELD, Neide Aparecida de Souza. Fundamentos de metodologia científica. 3. ed. São Paulo: Pearson, 2007. 158p.

PROJETO DE INTERFACE HOMEM-COMPUTADOR Introdução à interface homem-computador (IHC). Aspectos humanos. Aspectos tecnológicos. Métodos de técnicas de design. Ferramentas de suporte. Avaliação.

Bibliografia BásicaCYBIS, Walter; BETIOL, Adriana Holtz; FAUST, Richard. Ergonomia e usabilidade: conhecimentos, métodos e aplicações. São Paulo: Novatec, 2007.NIELSEN, Jakob; LORANGER, Hoa. Usabilidade na Web. Rio de Janeiro: Elsevier, 2007.ROCHA, Heloísa Vieira da; BARANAUSKAS, Maria Cecília C. Design e avaliação de interfaces humano-computador. Campinas: EDUNICAMP, 2003.

GESTÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Conceitos e aplicações das tecnologias da informação em sistemas empresariais. Sistemas integrados de gestão (ERP), de relacionamento com clientes (CRM), de relacionamento com parceiros (PRM), de apoio a cadeia de suprimentos (SCM) e de inteligência empresarial (BI). Visão geral de empreendedorismo. Características do empreendedor. Plano de negócio.

Bibliografia Básica LAUDON, Kenneth C.; LAUDON, Jane Price. Sistemas de informação gerenciais: administrando a empresa digital. 5. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2006.STAIR, Ralph M.; REYNOLDS, George W. Princípios de sistemas de informações. São Paulo: Cengage Learning, 2010. TURBAN, Efraim; RAINER JUNIOR, R. Kelly; POTTER, Richard E. Administração de tecnologia da Informação: teoria e prática. Rio de Janeiro: Elsevier, 2005.

Page 26: Guia de Percurso

26

CU

RS

O S

UP

ERIO

R D

E TE

CN

OLO

GIA

EM

AN

ÁLI

SE

E D

ESEN

VO

LVIM

ENTO

DE

SIS

TEM

AS

Guia de Percurso - análise e desenvolvimento de sistemas

DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÃO WEB Conceitos de desenvolvimento de sistemas para web. Linguagem de programação destinada a apresentação, roteirização e inteligência do sistema. Noções de segurança. Estudos de caso basEaDos em comercio eletrônico.

Bibliografia BásicaCONVERSE, Tim; PARK, Joyce. PHP a bíblia. Rio de Janeiro: Campus, 2003. DEITEL, Paul J.; DEITEL, Harvey M. Ajax, Rich Internet Applications e desenvolvimento web para programadores. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2009. (Série do programador). LEMAY, Laura. Aprenda a criar páginas web com HTML e XHTML em 21 dias. São Paulo: Makron Books, 2002.

TÓPICOS ESPECIAIS EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS Estudo de tópicos emergentes em tecnologias da informação e comunicação aplicadas ao desenvolvimento de sistemas de informação.

Bibliografia BásicaBOND, Martin et al. Aprenda J2EE em 21 dias: com EJB, JSP, servlets, JNDI, JDBC e XML. São Paulo: Makron Books, 2003 LEE, Valentino; SCHNEIDER, Heather; SCHELL, Robbie. Aplicações móveis: arquitetura, projeto e desenvolvimento. São Paulo: Pearson, 2005.MUCHOW, John W. Core J2ME: tecnologia & MIDP. São Paulo: Pearson, 2006.

SEMINÁRIO VITópicos abordados no 6º semestre: Gestão do Conhecimento, por meio de fóruns de debates.

Bibliografia BásicaSOMMERVILLE, Ian. Engenharia de software. 8. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2007. 552p.STAIR, Ralph M. Princípios de sistemas de informações: uma abordagem gerencial 6. ed. São Paulo: Thomson Learning, 2006.ROCHA, Heloísa Vieira da; BARANAUSKAS, Maria Cecília C. Design e avaliação de interfaces humano-computador. Campinas: EDUNICAMP, 2003. 244p.

Page 27: Guia de Percurso

27

CU

RS

O S

UP

ERIO

R D

E TE

CN

OLO

GIA

EM

AN

ÁLI

SE

E D

ESEN

VO

LVIM

ENTO

DE

SIS

TEM

AS

Guia de Percurso - análise e desenvolvimento de sistemas

SISTEMA DE AVALIAÇÃO

Apresentamos a você o sistema avaliação da aprendizagem adotado na UNOPAR e em seu curso. É muito importante que você faça uma leitura atenta das regras acadêmicas aqui destacadas.

O sistema de avaliação adotado no curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas compreende:• Prova por disciplina, aplicada presencialmente, para avaliar o conjunto de competências e habilidades, com peso 8 (oito) na média final.• Avaliação das atividades web, realizadas no decorrer do semestre, por intermédio do Ambiente Virtual de Aprendizagem, com peso 2 (dois) na média final.• Avaliação do estágio e práticas pedagógicas, quando houver, composta de atividades resultantes do acompanhamento das mesmas, realizadas no decorrer do curso, cujas produções textuais são disponibilizadas no ambiente virtual, de acordo com regulamento próprio.• Trabalho de Conclusão de curso – TCC, quando houver, desenvolvido ao final do curso, de acordo com regulamento próprio.• A apresentação presencial do TCC, quando houver, é requisito obrigatório para a aprovação do aluno, e segue as orientações da coordenação de curso.

As provas presenciais, realizadas individualmente, são compostas por 2 (duas) questões dissertativas que correspondem a 50% (cinquenta por cento) do valor da prova e por 10 questões objetivas que completam os outros 50% (cinquenta por cento).

Lembre-se que em seu cronograma de atividades, disponível em seu ambiente virtual, você encontra o período de realização da prova presencial, de cada disciplina, como também a data de divulgação do conceito obtido por você.

Lembre-se o aluno que não realizar a prova presencial é automaticamente reprovado na disciplina. No caso de ausência justificada à prova de primeira chamada, é permitido ao aluno solicitar segunda chamada de prova, que habitualmente ocorre na semana seguinte à prova regular. Tal solicitação de segunda chamada deve ser feita pelo aluno, no prazo de até dois dias da data em que foi realizada a prova de 1ª chamada e pode ser feita no pólo de apoio ou pelo próprio aluno em seu ambiente virtual. Alertamos que o sábado é considerado dia letivo, portanto válido na contagem do prazo estabelecido para a realização da solicitação.

Caso o aluno obtenha conceito inferior a 50% ( cinquenta por cento) na prova presencial da disciplina, poderá realizar prova de recuperação da mesma, em data agendada pela coordenação e divulgada no cronograma de atividades no ambiente virtual.

Já as atividades web são compostas por quatro avaliações virtuais por disciplina, duas produções textuais interdisciplinares no semestre, sendo uma individual e outra em grupo, e participação no Ambiente Virtual de Aprendizagem, como os fóruns das disciplinas.

O conjunto das produções textuais citadas acima, e as produções textuais decorrentes das práticas pedagógicas, dos estágios e TCC, quando houver, é denominado portfólio.

Orientamos que você leia atentamente o Manual acadêmico, disponível em seu Ambiente Virtual de Aprendizagem Colaborar. Nele você vai encontrar as demais regras acadêmicas importantes para seu percurso. Isso fará com que você se sinta seguro quanto aos seus resultados durante o processo de aprendizagem de seu curso. Esclarecemos que semestralmente o manual acadêmico é atualizado.Você deve ter à mão o calendário acadêmico do semestre, pois nele você encontrará datas importantes a serem observadas por você, como as datas de matriculas de solicitação de revisão de resultados acadêmicos e atividades como o encontro cientifico e congresso de extensão, realizados na UNOPAR. Da mesma forma que o manual acadêmico, você encontra o calendário acadêmico, disponibilizados no Ambiente Virtual de Aprendizagem.

Manual e calendário acadêMicos

Page 28: Guia de Percurso

28

CU

RS

O S

UP

ERIO

R D

E TE

CN

OLO

GIA

EM

AN

ÁLI

SE

E D

ESEN

VO

LVIM

ENTO

DE

SIS

TEM

AS

Guia de Percurso - análise e desenvolvimento de sistemas

REGRAS DE APROVAÇÃO

Considera-se aprovado na disciplina o aluno que: I. Obtiver conceito S - Suficiente ou superior, resultante da soma da nota da prova presencial, mais a nota das atividades web;II. Cumprir as atividades web previstas para o semestre e o mínimo de 50% (cinqüenta por cento) de participação nas teleaulas.

O aluno é reprovado na disciplina se, na prova presencial de recuperação, obtiver aproveitamento inferior a 50%, devendo cumpri-la novamente, em regime de dependência.

O aluno que não participar de pelo menos 50% da teleaulas previstas é reprovado na disciplina.

O aluno que não obtiver conceito mínimo suficiente (S) no conjunto das atividades web previstas no semestre é reprovado na disciplina.

Portanto você deve realizar todas as atividades web das disicplinas e obter conceito mínimo suficiente em todas elas.

É permitido ao aluno cursar até 3 (três) disciplinas em regime de dependência. Isso quer dizer que se o aluno reprovar em mais disciplinas ele fica retido no semestre para cursar somente as disciplinas nas quais foi reprovado.

CONCEITOS UTILIZADOS

O resultado da avaliação é expresso por meio de conceitos, assim estabelecidos: • EX - Excelente - equivalente entre 90% (noventa por cento) a 100% (cem por cento); • MB - Muito Bom - equivalente entre 80% (oitenta por cento) a 89% (oitenta e nove por cento);• B - Bom - equivalente entre 70% (setenta por cento) a 79% (setenta e nove por cento);• S - Suficiente - equivalente entre 60% (sessenta por cento) a 69% (sessenta e nove por cento); e • I - Insuficiente - até 59% (cinquenta e nove por cento).

ATIVIDADES TEXTUAIS INTERDISCIPLINARES

As Atividades Textuais Interdisciplinares são realizadas em cada semestre do curso. São atividades baseadas na interdisciplinaridade de conteúdos. O objetivo de tais atividades é promover a integração dos conteúdos desenvolvidos nas disciplinas, com foco no eixo integrador do semestre. Assim, durante o semestre, com as devidas orientações dos docentes, por meio dos fóruns de discussão realizados nas disciplinas e juntamente com o acompanhamento dos tutores eletrônicos, você realizará duas produções textuais interdisciplinares, uma individualmente e outra em grupo. Nessas atividades você receberá conceitos que serão computados para todas as disciplinas do semestre.

Fique atento! Não perca os prazos de postagem e busque orientações por meio da sala do tutor, dos fóruns de discussão e com o tutor de sala.

Mais que uma formalidade legal, a avaliação é um aspecto importante do processo de aprendizagem, pois é o momento para o estudante perceber como está seu desempenho. Para isso, é fundamental que este, compartilhe suas dúvidas com os colegas e apresente seus questionamentos, recorrendo aos tutores e professores. Isso fará com que sinta seguro quanto aos seus resultados durante o processo de aprendizagem.

!aValiaÇão de aprendizageM

CONCEITO

Você pode acompanhar sua frequência nos encontros presenciais e o seu desempenho nas atividades de avaliação durante todo o semestre, no Ambiente Virtual de Aprendizagem, na sua área acadêmica, ícone Boletim, opção Lançamentos.Ao final do semestre você poderá acessar o seu Boletim onde constará o seu conceito final em cada disciplina.

!BOLETIM

Page 29: Guia de Percurso

29

CU

RS

O S

UP

ERIO

R D

E TE

CN

OLO

GIA

EM

AN

ÁLI

SE

E D

ESEN

VO

LVIM

ENTO

DE

SIS

TEM

AS

Guia de Percurso - análise e desenvolvimento de sistemas

ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO

Considera-se Estágio Curricular Obrigatório as atividades eminentemente práticas, previstas na matriz curricular do curso, tendo como finalidade articular, concomitantemente, estudos teóricos e práticos alicerçados no desenvolvimento de competências, habilidades e atitudes.

O Estágio Curricular Obrigatório, constitui-se como componente curricular do Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas.

O Estágio Curricular Obrigatório será o locus onde o aluno terá a oportunidade para refletir, sistematizar e aplicar os conhecimentos apresentados e discutidos no curso às atividades práticas desenvolvidas no mercado de trabalho.

OBJETIVOS DO ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO

O objetivo geral do Estágio Curricular Obrigatório do Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas é assegurar ao aluno, o exercício da experiência profissional, por meio da vivência no ambiente empresarial, consolidando os conhecimentos adquiridos no curso e a articulação da teoria e prática.

Além disso, podemos elencar como objetivos específicos do estágio:• Incentivar o pensamento reflexivo, o trabalho de pesquisa e investigação científica, visando o desenvolvimento da ciência, da tecnologia e da cultura; • Proporcionar ao aluno correlacionar e aprofundar os conhecimentos teóricos e práticos adquiridos no curso; • Oportunizar a possibilidade de vivenciar situações que demandem a aplicação de conhecimentos teóricos e práticos em atividades relacionadas à análise e desenvolvimento de sistemas nas organizações; • Propiciar ao aluno o desenvolvimento de trabalhos com visão globalizada das atividades inerentes ao Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas; e • Suscitar o desejo permanente de aperfeiçoamento cultural e profissional e possibilitar correspondente concretização no desenvolvimento de competências, capacidades e habilidades.

CAMPO DE ESTÁGIO PARA O ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO

O Estágio Curricular Obrigatório poderá ser realizado em organizações empresariais particulares, públicas e filantrópicas desde que apresentem condições para:a. Planejamento e execução do conjunto de atividades do Estágio Curricular Obrigatório;b. Aprofundamento dos conhecimentos teórico-práticos do campo específico de trabalho;c. Orientação e acompanhamento por parte de profissional com qualificações adequadas ao curso;d. Vivência efetiva de situações reais da vida e do trabalho num campo profissional; ee. Avaliação.

TERMO DE COMPROMISSO DO ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO

Para o estabelecimento de Termo de Compromisso de Estágio Curricular Obrigatório é considerado, pela UNOPAR, em relação à entidade concedente de estágio: a. Existência de infraestrutura física, de material e de

Você deve realizar o cadastro do campo de estágio e emitir o termo de compromisso do estágio, documento obrigatório. Para tanto é preciso que você procure seu polo de apoio para que esse realize junto com você tais procedimentos.O termo de compromisso de estágio deve ser assumido pelo aluno, pelo responsável do compo de estágio pela coordenação do curso e Pró-reitoria Acadêmica. Atenção! o não envio do termo de compromisso devidamente preenchido e assinado à Divisão de Convênios e Estágios implica na reprovação do aluno por convênio. Assim não deixe de realizar o procedimento adequado à época do estágio.Também é obrigatório ao aluno, o envio da documentação pedagógica de estágio que são a ficha de acompanhamento do aluno, no campo de estágio, a ficha de acompanhamento da regência e a carta Aceite, todos assinados e carimbados pelos responsáveis do campo de estágio, tutor de sala e aluno.Tais documentos devem ser inseridos de forma digital no Ambiente Virtual pelo polo e serão verificados pelos professores e tutores.Assim, mantenha sua documentação adequada e as envie nos prazos para evitar sua reprovação.

!LEMBRE-SE

Page 30: Guia de Percurso

30

CU

RS

O S

UP

ERIO

R D

E TE

CN

OLO

GIA

EM

AN

ÁLI

SE

E D

ESEN

VO

LVIM

ENTO

DE

SIS

TEM

AS

Guia de Percurso - análise e desenvolvimento de sistemas

recursos humanos; b. Aceitação das condições de supervisão e avaliação da Universidade Norte do Paraná; c. Anuência e acatamento às normas dos estágios da Instituição; e d. Existência de instrumentos legais.

As atividades programadas para serem cumpridas pelo aluno referentes ao estágio são disponibilizadas no Ambiente Virtual de Aprendizagem pela Coordenação do Curso.

ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO

Você como estudante universitário, pode realizar o estágio curricular não obrigatório. O Estágio Curricular não obrigatório tem como objetivo estimular o aluno a desenvolver atividades extracurriculares, para que possa inter-relacionar os conhecimentos teóricos e práticos adquiridos durante o curso e aplicá-los na solução de problemas reais da profissão, proporcionando o desenvolvimento da análise crítica e reflexiva para os problemas socioeconômicos do país.

Para tanto, é necessário que ocorra um termo de compromisso entre a UNOPAR e a instituição na qual será realizado o estágio.

Para o estabelecimento de termo de compromisso de estágio curricular, é exigido pela UNOPAR, em relação à entidade concedente de estágio: • Existência de infra-estrutura física, de material e de recursos humanos;• Aceitação das condições de supervisão e avaliação da Universidade Norte do Paraná; • Anuência e acatamento às normas dos estágios da Universidade Norte do Paraná; e • Existência dos instrumentos legais.

Constituem campo de estágio curricular as entidades de direito privado, os órgãos da administração pública, as instituições de ensino e/ou pesquisa, e a comunidade em geral, desde que apresentem condições para: • Planejamento e execução conjuntos das atividades de estágio; • Aprofundamento dos conhecimentos teórico-práticos de campo específico de trabalho; • Orientação e acompanhamento por parte de profissional com qualificações adequadas ao curso; • Vivência efetiva de situações reais da vida e trabalho num campo profissional; e • Avaliação.

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC

As orientações que seguem, têm o objetivo de facilitar o desenvolvimento do seu Trabalho de Conclusão de Curso, que será um dos instrumentos de avaliação final do curso.

O QUE É O TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC?

O relatório final do Estágio Curricular Obrigatório será denominado TCC - Trabalho de Conclusão de Curso - é o espaço curricular destinado à realização da pesquisa/ensino, desenvolvida durante o curso. Seu conteúdo, portanto, deverá apresentar as análises e as reflexões realizadas durante o estudo dos semestres, convergindo para o tema escolhido.

QUAL É O OBJETIVO DO TCC?

A elaboração do TCC tem como finalidade envolver o aluno na iniciação científica através de uma reflexão temática que possa unir os saberes do aluno, com as contribuições da ciência da educação e as vivências realizadas durante o curso. A meta desse trabalho é contribuir com o pensamento acadêmico e a realidade estudada.

Page 31: Guia de Percurso

31

CU

RS

O S

UP

ERIO

R D

E TE

CN

OLO

GIA

EM

AN

ÁLI

SE

E D

ESEN

VO

LVIM

ENTO

DE

SIS

TEM

AS

Guia de Percurso - análise e desenvolvimento de sistemas

QUANDO FAZER A ESCOLHA DO TEMA?

É importante que o aluno comece a pensar no TCC desde o início do curso, para que possa ir identificando, amadurecendo a escolha de seu interesse e sobre qual tema gostaria de desenvolver o trabalho.

A orientação é que, no decorrer do estudo, o aluno seja incentivado a discutir com colegas, conversar com o Tutor Eletrônico sobre o tema de seu interesse, analisar a pertinência do tema e relacioná-lo a sua prática profissional. Também é importante que o TCC mantenha relação com uma das temáticas da linha de pesquisa institucional.

COMO SELECIONAR O TEMA (IDEIA CENTRAL)?

O TCC deve ser identificado por um tema. Este tema deve ser bem definido observando-se, principalmente, os objetivos que se pretende alcançar, bem como sua experiência sobre o mesmo.

O tema escolhido deverá ser vinculado à linha de pesquisa institucional. O enfoque deverá apresentar coerência com os estudos realizados, tendo como referência um dos temas trabalhados durante o curso. Para o desenvolvimento do tema, o aluno necessita da aprovação do orientador do TCC.

É importante considerar alguns pontos na seleção do tema. Assim, algumas questões devem ser pensadas, especialmente quanto a:

• Relevância da ideia: 1. tem importância? 2. está no nível de um Trabalho de Conclusão de Curso? 3. está relacionado com a sua experiência profissional? 4. está relacionado com as temáticas abordadas no curso? 5. contribui para seu crescimento profissional?

• Viabilidade da Ideia: 1. é possível de ser executada (escrita)? 2. o período disponível para execução é suficiente? 3. os recursos necessários são de fácil acesso? 1. o tema idealizado não é muito complexo? 2. os limites estão bem definidos? 3. existe bibliografia básica de fácil acesso?

Esses pontos, se bem refletidos, irão direcionar um bom planejamento de ações para que sua ideia seja colocada em prática.

QUAL O FORMATO DO TCC?

A estrutura do trabalho de conclusão de curso (TCC) deverá ser desenvolvida seguindo as normas da ABNT com base nas orientações do manual estabelecido pelo colegiado do curso e disponibilizado no ambiente virtual.

Page 32: Guia de Percurso

32

CU

RS

O S

UP

ERIO

R D

E TE

CN

OLO

GIA

EM

AN

ÁLI

SE

E D

ESEN

VO

LVIM

ENTO

DE

SIS

TEM

AS

Guia de Percurso - análise e desenvolvimento de sistemas

ATIVIDADES COMPLEMENTARES OBRIGATÓRIAS

São atividades a serem cumpridas por você aluno no decorrer do curso, por meio da participação em atividades promovidas pela UNOPAR ou por outras instituições de ensino. No curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas a carga horária a ser cumprida pelo aluno é de 100 horas. Você tem todo o período de integralização do curso para completar as horas exigidas, mas não deixe para a última hora, organize-se e vá realizando as atividades, aos poucos, em cada semestre. Assim não pesará para você e você poderá acrescentar conhecimento no decorrer de seu percurso educativo.

São consideradas Atividades Complementares Obrigatórias - ACO, para efeito de integralização dos currículos dos cursos de graduação, as seguintes atividades desenvolvidas pelos discentes:

• Estágio Curricular Não obrigatório;• Visitas técnicas; • Monitoria acadêmica; • Programas de iniciação científica; • Projetos de ensino, pesquisa e extensão; • Participação em cursos, seminários, simpósios, conferências, palestras e encontros; • Programas pedagógicos especiais, • Atividades desenvolvidas nos Órgãos Suplementares de vinculação dos cursos, desde que não caracterizadas como inerentes às disciplinas da graduação e cumpridas em horário não coincidente com o regular da matrícula do discente; • Disciplina(s) ou semestre(s) cumprido(s) em outros cursos da UNOPAR, na condição de aluno especial, desde que seja inerente ao curso e que haja concordância do Colegiado de Curso respectivo; e • Outras atividades, desde que justificadas e consideradas pelo Colegiado de Curso, como de pertinência para a formação acadêmica do discente.

As atividades mencionadas acima, quando desenvolvidas antes do ingresso do aluno no curso, não podem ser consideradas para efeito de integralização de carga horária de ACO.

Para o cômputo de ACO no curso os alunos vinculados ao Sistema de Ensino Presencial Conectado - SEPC, modalidade à distância - EAD devem enviar à Coordenação do Curso o pedido e documentação comprobatória de participação em atividades para cômputo de carga horária de ACO, até o término do período letivo.

O cômputo de carga horária de ACO, quando referente a uma única atividade, não pode ser superior a 50% (cinquenta por cento) da carga horária exigida curricularmente para a modalidade.

O não cumprimento da carga horária prevista em atividades Complementares obrigatórias implica a não integralização curricular e portanto a não conclusão do curso, e a não participação do aluno no ato de colação de grau.

Page 33: Guia de Percurso

33

CU

RS

O S

UP

ERIO

R D

E TE

CN

OLO

GIA

EM

AN

ÁLI

SE

E D

ESEN

VO

LVIM

ENTO

DE

SIS

TEM

AS

Guia de Percurso - análise e desenvolvimento de sistemas

CARO ALUNO

Esperamos que tenha conhecido algumas das questões importantes de seu curso, na UNOPAR. Outros procedimentos mais específicos sobre o seu dia a dia são divulgados pela Coordenação de Curso para sua orientação. Assim fique atento e lembre-se sempre de acessar o ambiente “Colaborar” para contatar seu tutor a distância pela “sala do tutor“. Não deixe de participar dos fóruns de discussão das disciplinas, pois essa é uma oportunidade rica em experiências e saberes.No pólo de apoio presencial, contate o seu tutor de sala, que o orientará sobre as atividades programadas no curso e também sobre os serviços e equipes que estarão a sua disposição no polo,como: secretaria, coordenação do polo, coordenação técnico pedagógico, laboratório de informática, biblioteca e outros, para que sua vida acadêmica transcorra da melhor maneira possível.

Desejamos a Você sucesso!

Estamos a sua disposição Coordenação do Curso

!

AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

Com o objetivo de verificar e assegurar a qualidade dos serviços educacionais a você aluno, da UNOPAR, semestralmente você deve participar, através do ambiente virtual, na área acadêmica, respondendo a avaliação institucional. Ela tem função, corretiva e qualitativa do processo, pois envolve todos os setores da instituição, incluindo alunos, coordenadores, docentes e tutores.

Você aluno poderá avaliar o curso, material didático utilizado, a tecnologia adotada, a infra estrutura dos polos, a biblioteca digital e física, os docentes, os tutores e outros, enfim uma avaliação que fornece dados para o acompanhamento do sistema e, se necessário, possam ser adotadas ações de melhoria. Esta avaliação deve ser respondida de forma criteriosa por você, além do mais é uma forma de registrar sua opinião. Sua participação é muito importante. Queremos ouvi-lo!

Page 34: Guia de Percurso